É sempre melhor pedir ao vizinho

Hey! I brought news!

Cansado, mas motivado, chegou finalmente o José da sua longa navegação pelo brando atlântico no bem estruturado barco a remos EXPLORER 200, com a notícia do processo Napster ocorrido no ano de 2000 nos EUA. Consequentemente, sem qualquer espera, começou agora em Portugal a caça à partilha de ficheiros na rede invisível.

O tribunal criminal de Lisboa deu como provado que um estudante universitário de Lisboa de 23 anos, à data com 17, tinha disponibilizado a mãos desconhecidas, mas com certeza amigas no Facebook, três musicas para download (o verbo existente para este acto é chamado de upload). As músicas em questão eram: “Right through you” de Alanis Morissette, “A queda de um anjo” dos Delfins e “Não há” de João Pedro Pais.

O jovem ingénuo, teve de ser castigado claro. Em causa está o facto do idoso que fez o download dos Delfins, depois de ter caído no erro de ouvir com os ouvidos a música, ter ficado com várias lesões auditivas e de hoje não distinguir o som duma sirene dos bombeiros da voz da enérgica apresentadora, do canal de maior qualidade português, Cristina Ferreira.

No caso do tema de Alanis Morissette, a dona de casa que retirou o tema da internet, teve de ser submetida a uma lavagem ao estômago e apresenta sinais fortes de loucura por frustração e depressão grave. Finalmente o jovem que fez o download da música de João Pedro Pais, este com aparentes sequelas menos graves, está ainda internado para observação.

Foram estes os factos, e garantidamente não outros, que levou o colectivo de juízes a punirem com tamanha gravidade o jovem com 2 meses de pena suspensa e com uma advertência de que caso volte a partilhar qualquer música ou dos Delfins ou da Alanis Morissette, será imediatamente preso, sofrendo como castigo, o próprio castigo dado aos inocentes e ingénuos, e será acusado de crimes contra a humanidade, tal como antigos líderes de vários países islamicos.

São apenas três temas, é certo, “mas que fazem moça!”, afirmou o juiz, que aproveitou para perguntar ao arguido se este não lhe arranjava uma cópia do “Os Descendentes” para ver em casa com a mulher e os filhos.

Sei que por vezes não concordamos com a justiça, que achamos que ela é cega, mas desta vez temos de admitir que pelo menos não é surda e que actuou a pensar no bem estar de todos nós que podíamos de forma acidental retirar um destes ficheiros em casa para ouvir e sofrer lesões graves. Sim, porque nem em Portugal nem no mundo se partilham e retiram ficheiros da web de forma propositada, é sempre acidentalmente mesmo que venha ai um IP qualquer a dizer que é mentira.

Advertisements

2 responses to “É sempre melhor pedir ao vizinho

  • José Meireles

    tiveram sim senhor, puseram um processo contra eles, e o baterista foi uma voz activa na luta contra a pirataria durante anos. Filhodamae!

  • sem nome

    É impressionante o que se faz nos tribunais por vezes. os metallica nao tiveram a ver com o caso Napster?????

Não hesita!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: